casa em curitiba

ficha técnica

local curtiba, paraná
data do início do projeto 2002
data da conclusão da obra 2005
área do terreno 892,55 m²
área construída 313,60 m²
arquitetura cristiane muniz, fábio valentim, fernanda barbara, fernando viégas (autores) apoena amaral e almeida, boris koischwitz, clóvis cunha, felipe noto, josé eduardo baravelli, marcio wanderley, nicholas lobo brennand, sabrina lapyda (colaboradores)
construção marcolla arquitetura e construções ltda
estrutura de concreto benedicts engenharia
luminotecnia reka; ricado heder
instalações rogesul engenharia e construções ltda
fotografias nelson kon, victor fernandes

O terreno de 900 m2, em Curitiba, é ocupado por uma larga faixa de araucárias que se estende aos terrenos vizinhos, diluindo o caráter estrito de lote urbano do sítio apresentado para o projeto de uma casa. Um casal de filósofos, professores da Universidade Federal, com dois filhos, trouxe no programa uma biblioteca, espaço de trabalho diário, que deveria ter independência e ao mesmo tempo proximidade dos demais usos.
A declividade do terreno sugeriu a implantação da casa na cota elevada e, como um volume longitudinal, define duas situações para as áreas externas: a primeira ocupada pelas araucárias, mantendo sua configuração original de vegetação e topografia, e, na face oposta, um jardim construído mais ligado às atividades cotidianas - que recebe o sol da manhã e para onde se voltam os dormitórios das crianças e do casal.
Um espaço central de pé-direito duplo, onde ficam uma varanda e sala de jantar, divide a casa em dois blocos. Ele é atravessado por um piso que determina um eixo transverso ao volume da casa, relacionando as áreas externas de funções complementares. Para essa varanda vertical se voltam ainda: a sala de estar, a biblioteca e mais duas varandas no pavimento superior. São destas varandas, desenhadas como um espaço contínuo, que se vê plenamente a mata de araucárias.
O bloco da frente é caracterizado pela biblioteca com uma extensa abertura horizontal que olha a rua, distinguindo a casa entre as demais do bairro residencial.
Na cota inferior do terreno se localizam apenas o acesso (utilizado também como estacionamento de veículos) e o dormitório de hóspedes que se abre para um pátio, envolvido pela parede de concreto que apóia a casa e se dobra no limite frontal do terreno.